Categorias
eSocial

Novo eSocial: o que muda e como ficamos até 2020

A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho anunciou, no dia 9 de julho, a modernização do eSocial. O sistema será substituído por plataformas mais simples a partir de janeiro de 2020. A ideia central é desmembrar as obrigações em dois sistemas e diminuir o número de informações obrigatórias ainda pela metade.

Mas antes de falarmos o que vem a partir de 2020, vários empresários e várias empresárias estão aflitos por não saberem o que acontecerá com as informações já enviadas dentro do cronograma de adaptação e se ainda é necessário continuar preenchendo, mensalmente, até dezembro de 2019. Vamos conversar sobre isso primeiro!

Posso deixar o eSocial atual sem ser preenchido?

A resposta é simples e direta. Não! O eSocial não foi suspenso pelo Governo Federal. Continuam em vigor todos os prazos vigentes para o envio das informações.

Por enquanto, a mudança é que os dados e as fases que ainda estavam previstas no calendário não serão mais solicitados até a implementação do novo sistema. No entanto, é fundamental que o sistema seja continuamente alimentado até o final de 2019.

Mudanças imediatas? Quais são?

As mudanças passarão a vigorar a partir de janeiro de 2020. Mas desde julho já passamos a considerar algumas alterações no sistema atual.

O Governo anunciou que será disponibilizado o mais breve possível uma reformulação do eSocial, por meio de uma revisão na sua interface, flexibilizando regras que emperram o fechamento da folha, além de dispensar a apresentação de diversas informações hoje obrigatórias.

Para fazer isso de imediato sem impactar os empregadores, foram tornados facultativos diversos campos que serão eliminados. Na prática, os empregadores poderão deixar de prestar tais informações consideradas dispensáveis.

O que é o novo eSocial?

Segundo a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, foram ouvidos os usuários e desenvolvedores para que identificar os principais pontos de complexidade do sistema.

As principais propostas a partir dessas pesquisas foram:

  • a possibilidade de utilizar uma tabela padrão de rubricas, sem a necessidade de cadastramento de rubricas próprias;
  • a eliminação de tabelas de cargos, funções e horários;
  • não mais realizar o cadastramento de processos judiciais para matérias não relacionadas a tributos, como o FGTS;
  • A exclusão de campos opcionais, como números de documentos pessoais, pois traziam dúvidas para os empregadores;
  • Destaca-se que informações sobre título de eleitor nunca foram solicitadas pelo eSocial.

Para resolver essas e outras dificuldades na implementação do eSocial, estão sendo desenvolvidos dois novos sistemas: um para informações trabalhistas e previdenciárias e outro para dados tributários, da Receita Federal. Uma das principais características desse novo sistema é a interface mais intuitiva.

Quais são as premissas do sistema?

Muitos empresários e muitas empresárias precisam de mais simplicidade para uma efetiva prestação das informações trabalhistas, previdenciárias e tributárias de seus negócios.

Pensando nisso, confira as principais premissas dos novos sistemas que estarão disponíveis a partir de 2020:

  • Foco na desburocratização: substituição das obrigações acessórias;
  • Não solicitação de dados já conhecidos;
  • Eliminação de pontos de complexidade;
  • Modernização e simplificação do sistema;
  • Integridade e continuidade da informação;
  • Respeito pelo investimento feito por empresas e profissionais.

Segundo o portal do eSocial, todo o investimento feito pelas empresas e profissionais (aquisição de sistemas, treinamento, capacitação, etc.) será respeitado. A forma de transmissão de dados via web service será mantida. Toda a identificação dos eventos e suas integrações realizadas até agora serão mantidas também.

Contudo, as regras serão mais flexíveis, e será muito mais fácil concluir o envio dos dados corporativos, reduzindo ao mínimo os erros decorrentes de informações incorretas.

Sempre um passo à frente, a equipe da Executiva estuda minuciosamente o eSocial para continuar garantindo as melhores soluções tecnológicas de gestão para o mercado empresarial brasileiro.

Ainda perdendo tempo, dinheiro e sono em função do eSocial? A Executiva tem a solução ideal para o seu negócio. Conheça o módulo eSocial da Executiva e garanta, desde já, uma transição tranquila, completa e eficiente para a sua empresa. Ligue agora: (41) 3097-7833.

Categorias
eSocial

Sua empresa está atualizada? Ajuste-se ao cronograma do eSocial para empresas do Simples Nacional

Em outubro de 2018, o Governo Federal realizou uma alteração que impactou as empresas do Simples Nacional, regime tributário especial para Microempresas e Empresas de Pequeno Porte. Elas foram inseridas no Grupo 3 do eSocial, o que garantiu aos empreendedores um novo cronograma de implantação da plataforma unificação digital.

Caso você precise entender melhor o programa do Governo, leia o artigo da Executiva Outsourcing que explica exatamente o que é o eSocial. Nesta página, vamos te mostrar como ficou o cronograma para os empreendedores do Simples Nacional.

Grupo 3: quem está dentro?

As empresas enquadradas no Simples Nacional agora estão no mesmo grupo dos empregadores pessoa física (exceto domésticas), dos produtores rurais pessoa física, dos Microempreendedores Individuais (MEIs) com funcionários e das entidades sem fins lucrativos. Este é o chamado Grupo 3. Isso significa que no dia 10 de janeiro iniciou-se o prazo para cadastro de empregadores e tabelas.

No Grupo 3 estão todos os empreendedores das categorias citadas acima e que faturam até R$ 4,8 milhões ao ano.

Vale ressaltar que os MEIs que não têm funcionários contratados não precisam migrar para o eSocial.

Cronograma eSocial

Ao unificar dados trabalhistas, fiscais, previdenciários das empresas em uma só plataforma, a fiscalização desses dados também passa a ser online.

A transição para o eSocial irá exigir a mobilização de alguns setores estratégicos dentro da sua empresa. Por isso, o Governo Federal dividiu a implantação da plataforma de forma gradual.

A primeira etapa para o Grupo 3 teve início no dia 10 de janeiro. A segunda fase, que compreende os dados dos trabalhadores e vínculo de emprego, começa em abril.

Para não perder nenhuma etapa, confira o cronograma para o Grupo 3:

cronograma-esocial

O não envio dentro dos prazos pode gerar atraso nos recolhimentos e penalidades para as empresas. Então não perca tempo e organize a reestruturação dos processos internos da sua empresa.


Dica: a Executiva facilita

Como você pode perceber, a transição para o eSocial exige alguns ajustes importantes nos processos das empresas. Por isso, a Executiva Outsourcing desenvolveu uma solução específica para a reestruturação dos fluxos internos, tornando muito mais fácil a transição e a mudança de cultura.

O módulo de Consultoria em eSocial da Executiva conta com auditoria inicial, ajustes de não conformidade, palestras de formação, a estruturação de grupos gestores e muito mais.

Ganhe tempo, qualidade e segurança na implantação do eSocial. Entre em contato com a Executiva: (41) 3668-7782.

Categorias
eSocial

O que é eSocial e que empresas precisam se adequar a esse novo sistema

O eSocial é um projeto do governo brasileiro que unifica todas as obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas em um só sistema de escrituração digital. Nele, foram reunidas mais de 15 obrigatoriedades em diversos setores, que antes estavam espalhadas em diversos sites de órgãos públicos, como registro do livro de registros e guia de recolhimento do FGTS.

No Brasil, são mais de 6,4 milhões de estabelecimentos comerciais, de acordo com dados do Sebrae, e 99% desse total é formado por micro e pequenas empresas. Todas as empresas precisam se cadastrar e prestar contas ao eSocial, incluindo autônomos e microempresários. A última fase de adequação ao sistema para empresas privadas acaba em janeiro de 2019 e quem não aderir pode ser multado. Para empresas públicas, o cronograma vai até julho de 2019.

Fase final: janeiro de 2019

Para o início do próximo ano, as empresas e instituições devem informar ao eSocial dados sobre a saúde e segurança dos empregados. Todas as empresas privadas (incluindo Simples, MEIs e pessoas físicas) com faturamento anual superior a R$ 78 milhões devem enviar os dados ao eSocial até o final de janeiro de 2019. Deve-se também prestar atenção aos afastamentos temporários de férias, pois a falta dessa declaração pode gerar multas de até R$ 180 mil.
É durante o mês de janeiro também que deve ser feita a substituição do Guia de Informações à Previdência Social (GFIP), na qual todos os dados do antigo sistema devem ser incluídos no eSocial.
Exceto para órgãos públicos, que têm limite estendido até julho de 2019, a fase final de implementação do eSocial acaba em janeiro do próximo ano.

No caso dos entes públicos, a implementação do sistema conta com mais três fases:
● Março: passa a ser obrigatório o envio de informações relativas aos servidores e seus vínculos com os órgãos (eventos não periódicos). Ex: admissões, afastamentos e desligamentos;
● Maio: Torna-se obrigatório o envio das folhas de pagamento;
● Julho: Os entes públicos devem realizar a substituição da GFIP e compensação cruzada, além de enviar dados de segurança e saúde do trabalhador.
Saiba mais sobre os próximos passos do eSocial clicando aqui.

Conheça a consultoria em eSocial da Executiva Outsourcing

Para auxiliar as empresas no enquadramento ao sistema do eSocial, a Executiva Outsourcing conta com um módulo exclusivo sobre o assunto, com o objetivo de reestruturar os fluxos internos da empresa.

A consultoria em eSocial da Executiva conta com auditoria inicial; ajustes de não conformidades; palestras de formação; criação de grupos gestores e implantação de processos.

Para saber mais, acesse nosso site e conheça todos os nossos serviços.

Categorias
eSocial

Cronograma de entregas do eSocial sofre nova alteração que irá impactar empresas optantes do Simples Nacional

Foi publicada, no Diário Oficial da União (DOU), a Resolução CDES nº 5 que traz alterações no cronograma do eSocial. Segundo a nova diretriz, as empresas que integram o Simples Nacional, inclusive MEI, pessoas físicas e instituições sem fins lucrativos, deverão enviar suas informações a partir de 10 de janeiro de 2019. Para o grupo formado por órgãos públicos e organizações internacionais o envio será a partir de janeiro de 2020.

Já as empresas com faturamento de até R$ 78 milhões em 2016, que não são optantes do Simples Nacional, precisam ficar atentas ao início do envio da segunda fase do eSocial, que começa nesta quarta-feira, 10 de outubro. Nesta fase, as empresas devem informar os eventos não periódicos, ou seja, dados dos trabalhadores e seus vínculos empregatícios. O prazo de envio é 9 de janeiro de 2019.

Confira o cronograma após as alterações da nova resolução:

Fonte: Ministério do Trabalho

Categorias
Folha de Pagamento

Gestão de Folha de Pagamento

Executiva Outsourcing | Pinhais | 02 de Agosto de 2018

A Terceirização de Folha de Pagamento da Executiva Outsourcing proporciona diversas vantagens para sua empresa:

Equipe especializada em implantação e migração de dados

Auditoria contínua de cálculos e redesenho de processos

Integração da folha de pagamento com sistemas de RH

Movimentações de folha (admissão, férias, afastamentos, transferências, rescisão, homologações)

Integração com ERP (Portaria 1.510) e gestão de ponto via web

Elaboração das guias e relatórios para recolhimentos legais

Expertise na implementação do eSocial

Categorias
eSocial

Micro e pequenas empresas e MEIs com empregados poderão ingressar no eSocial a partir de novembro de 2018

Executiva Outsourcing | Pinhais | 19 de Julho de 2018

https://portal.esocial.gov.br/institucional/legislacao/resolucao-do-comite-diretivo-do-esocial-no-4-de-04-de-julho-de-2018

A medida permite que micro e pequenas empresas – que são aquelas com faturamento anual de até R$ 4,8 milhões – e Microempreendedores Individuais (MEIs) possam ingressar no eSocial a partir do mês de novembro.

É importante deixar claro que somente os MEIs que possuam empregados – e que hoje totalizam um público de aproximadamente 155 mil empregadores – precisarão prestar informações ao eSocial.

Já para as demais empresas privadas do país – que possuam faturamento anual inferior a R$ 78 milhões – o eSocial torna-se obrigatório a partir de segunda-feira (16/7). A medida anunciada é uma opção oferecida aos micro e pequenos empregadores e MEIs.

No entanto, os empregadores deste grupo que tiverem interesse em ingressar no eSocial desde já, também terão acesso ao sistema.

Em relação às micro e pequenas empresas e MEIs, como esses estarão obrigadas ao eSocial somente a partir de novembro – quando ingressarem no sistema, eles deverão prestar as informações referentes às três fases iniciais do cronograma.

Em janeiro do ano que vem haverá, para o segundo grupo como um todo, a substituição da Guia de Informações à Previdência Social (GFIP) pelo eSocial e a inserção de dados de segurança e saúde do trabalhador no sistema.

Já os empregadores pessoas físicas, contribuintes individuais – como produtor rural e os segurados especiais – somente deverão utilizar o eSocial a partir de janeiro de 2019.

  • Fase 1: julho/18 – Apenas informações relativas às empresas, ou seja, cadastros do empregador e tabelas.
  • Fase 2: setembro/18 – Nesta fase, empresas passam a ser obrigadas a enviar informações relativas aos trabalhadores e seus vínculos com as empresas (eventos não periódicos), como admissões, afastamentos e desligamentos.
  • Fase 3: novembro/18 – Torna-se obrigatório o envio das folhas de pagamento.
  • Fase 4: julho/18: Substituição da GFIP pela DCTFWeb e compensação cruzada.
  • Fase 5: janeiro/19: Na última fase, deverão ser enviados os dados de segurança e saúde do trabalhador.

 Fonte: Diário Oficial 11.07.2018

O Manual foi revisto para abranger todas as alterações promovidas no eSocial até o momento.

Está disponível na área de Documentação Técnica do Portal do eSocial a prévia da nova versão do MOS – Manual de Orientação do eSocial:

Prévia nova versão do MOS

Manual de Orientação do eSocial

A versão final desta atualização do Manual ainda aguarda publicação oficial pelo Comitê Gestor do eSocial, mas os usuários já podem desde logo utilizá-lo para esclarecer suas dúvidas:

Documentação Técnica do eSocial

Categorias
eSocial Notícias

Palestra eSocial – Digibyte

Palestra: e-Social – Empresa Digibyte

Digibyte | 22 de junho de 2018

Imagens da Palestra eSocial na Empresa Digibyte

No dia 22/06/2018, o Sr. Márcio Pereira de Barros, Diretor da Executiva Outsourcing, realizou uma palestra sobre o eSocial, a convite do Sr. Rodrigo Buschmann da Digibyte – Sistema de Folha de Pagamento, Sistema de Contabilidade e Fiscal.

O público alvo foram as empresas contábeis e o evento foi um sucesso. O tema abordado foi a mudança de cultura imposta pelo eSocial.

Depoimento Digibyte – Por Sr. Rodrigo Buschmann:

“A palestra foi muito proveitosa para apresentar ou atualizar nossos clientes em relação ao e-Social, várias dúvidas foram tiradas por eles. Ter alguém com conhecimento sólido abrindo o evento foi muito bom para aumentar a confiança dos nossos clientes.

Todo o trabalho de informação que foi efetuado vais se refletir em uma utilização melhor do nosso software e diminuição da nossa demanda de suporte.”

Palestrante

Diretor da Executiva Outsourcing – Márcio Pereira de Barros
Formado em Administração de Empresas, com habilitação em Gestão de Negócios;
Especialista em eSocial e Terceirização;
Vice-presidente do Conselho de Relações Trabalhistas, da Associação Comercial do Paraná;
Membro do Conselho de Tributação da Associação Comercial do Paraná;
Membro de Grupo de Trabalhos sobre Educação Corporativa da FIEP;
Atende empresas como: Volvo, Nissan, Coca-Cola, Avon entre outras grandes corporações;

Categorias
eSocial

Sua Empresa está preparada para o eSocial?

Sua Empresa está preparada para o eSocial?

NEWS Executiva Outsourcing | Pinhais | 09 de Maio de 2018

O e-Social é uma plataforma que o governo lançou a partir de 2014, e que vai impactar no gerenciamento das obrigações assessórias, ou seja, trabalhista, previdenciária, fundiária e segurança e medicina do trabalho.

Desde o dia 08/01, empregadores com faturamento superior a R$ 78 milhões – ou que fizeram a adesão antecipada ao sistema – devem realizar o cadastramento de empregador no eSocial e enviar todas as suas tabelas.

Esses eventos deverão ser transmitidos até 28/02/2018. A partir de março de 2018, os empregadores do primeiro grupo deverão enviar informações relativas aos trabalhadores e seus vínculos com as empresas (eventos não periódicos), como admissões, afastamentos e desligamentos.

partir do momento em que você é constituído como uma personalidade jurídica, ou seja, uma empresa, uma sociedade empresarial limitada, e você tem um empregado cadastrado, registrado sobre as condições das consolidações da lei do trabalho, você estaria obrigado a participar do e-Social.

Essa pergunta eu escuto desde que eu comecei a falar sobre o e-Social em 2009. A grande sacada do governo com relação ao e-Social, não foi ser uma lei, por que se fosse uma lei, teria toda uma transição onde você tem que fazer noventena, aplicação, discussão, partilha…

O que o governo fez, o e-Social vai te obrigar a cumprir a lei tal qual ela está escrita, lembrar o decreto lei 5452 de 1943, que criou e definiu as consolidações da lei do trabalho.

Em uma das minhas palestras que eu fiz sobre e-Social, de uma forma inequívoca, algumas empresas enviarão a área de TI para assistir minha palestra, tendo a certeza absoluta que o e-Social era sistema.

Existe sim uma parte do e-Social que é sistema, uma parte muito importante: cadastro, informações, gerações de arquivo, envios ao e-Social, porém, você pode ter o melhor sistema do mundo, se você não mudar a cultura da sua empresa, o workflow de processos, as suas atitudes com relação a sua rotina de admissão e férias, o projeto do e-Social não vai funcionar na sua empresa.

A minha opinião como consultor de empresas hoje, é que o e-social com o grande impacto dele, vai ser em mudança de cultura e não em sistemas.

Em breve serão abertas inscrições para o evento “eSocial, efd-reinf e o impacto na gestão dos terceiros

– Formado em administração, com habilitação em Gestão de Negócios.
– Especialista e eSocial e Terceirização.
– Vice Coordenador do Conselho de Relações Trabalhistas da ACP – PR.
– Membro do Conselho de Tributação da ACP – PR.
– Membro do Grupo de Trabalho Sobre Educação Corporativa da FIEP – PR.

Compartilhe este post nas redes sociais: